sexta-feira, 12 de junho de 2015

Intolerâncias alimentares vs "esquisitices"


Este é um tema que dá pano para mangas...não gosto muito de falar sobre estas coisas até porque não detenho o conhecimento suficiente para tal, no entanto é um assunto que me interessa e incomoda uma vez que recentemente me foi diagnosticada uma intolerância alimentar.

Quem me conhece e acompanha o meu dia a dia, sabe que me foi diagnosticada, à cerca de 1 ano e meio, uma intolerância alimentar ao Trigo. Não foi fácil...primeiro houve que entender o que é isto de uma intolerância alimentar, quais as causas, os efeitos, sintomas...enfim...depois há que tentar conhecer e recolher o maior numero de informação acerca do tema, o que não é fácil porque não há muitas certezas e há várias opiniões.

Não é nenhum bicho papão e cada caso é um caso. Não sou celíaca pois posso ingerir outros cereais que estão interditos a quem sofre desta doença, embora possa adoptar facilmente vários produtos para quem é celíaco, mas não posso ingerir nada que tenha trigo e neste saco estão algumas das coisas mais básicas na nossa alimentação como o pão, as massas, bolos, bolachas entre outras coisas. Retirei muita coisa da minha alimentação, hoje faço uma alimentação mais equilibrada e saudável, sem deixar de comer o que gosto. Sim, continuou a comer pão, apenas tive que me adaptar e faço pão em casa com farinhas próprias, como a de arroz, trigo sarraceno ou milho, pois existem uma série de outras farinhas que podem ser usadas, sendo que já existe na maior parte dos hipermercados soluções sem gluten para quem não quer ou não consegue fazer as suas próprias coisas. Continuou a comer massas, apenas tive que substituir as massas ditas normais, por massas de arroz ou milho ou até mesmo pelas massa sem gluten. Habituei-me a ler os rótulos dos produtos que compro e a ter mais cuidado com certas coisas já processadas as quais contêm ingredientes que nem nos passa pela cabeça. Habituei-me a ter o cuidado de preparar as minhas refeições, a comer comida feita em casa. Habituei-me a cada vez que como fora ter o cuidado de escolher comida em que não corro riscos pois já foram alguns os sustos.


Desde muito pequena que sofro de alergias, asma, cansaço, enxaquecas e anemia crónica...tudo isso desapareceu ou atenuou com a mudança da minha alimentação, incrível não é??? No entanto não foi fácil chegar ao diagnóstico uma vez que os sintomas se confundem muito com outras coisas mais simples, como quebras de tensão, hipoglicémia, entre outras coisas...achamos sempre que o mal estar constante é devido a pequenas coisas do dia a dia, stress, alguma coisa que comemos e nos fez mal, enfim um sem numero de coisas que afinal podem nem ter nada a ver com o que se passa.



O difícil não é a adaptação de quem sofre este tipo de intolerâncias ou alergias, o difícil é fazer com que as outras pessoas entendam que não são "esquisitices" ou manias, que não é uma dieta para emagrecer, sim é certo que se perde peso, mas é inerente à mudança. O difícil é que as pessoas entendam que um bocadinho pode fazer muito mal, o difícil é fazer com que não olhem para nós como pessoas diferentes, esquisitas...ainda há muito trabalho pela frente, mas penso que se está a caminhar na direção certa e a divulgação deste tipo de condição é cada vez maior.

Pela minha parte tenho que agradecer à APC - Associação Portuguesa de Celíacos, pela divulgação de informação e sintomas, aos sites Vidas sem Gluten e Gluten Free com Paixão pela informação e receitas que vão disponibilizando.

Beijinhos



Sem comentários: