quinta-feira, 18 de abril de 2013

Revolta ou desilusão...

Todas as manhãs incluído no ritual de nos sentarmos à mesa para tomar o pequeno almoço, está o ligar da televisão para ouvirmos as noticias matutinas... que dada a conjuntura não são as melhores, no entanto e atendendo ao curso que tenho e ao facto de até gostar de ser uma pessoa minimamente informada tento saber o que se vai passando à minha volta.

Hoje dei comigo perdida nos meus pensamentos... cortes e mais cortes, impostos que aumentam, sobretaxas e reduções de salários (sim sou funcionária pública), reformados que voltam a descontar para a Caixa Geral de Aposentações, quando já o fizeram uma vida inteira, aumentos na educação, na saúde, cortes nas comparticipações, despedimentos (aumentando o desemprego)... entre muitas outras coisas... e viajo no tempo, vejo-me a subir umas escadas estreitas de madeira num prédio velho da 5 de Outubro, em Setúbal, onde reina o cheiro a cola de cartazes e álcool de marcadores com que se desenhavam dizeres nos mesmos...vejo os meus pais a lutarem por um país melhor, reuniões clandestinas, comícios, campanhas, passeatas... gritos de liberdade e para quê???


(Imagem retirada da internet)
Não tendo quaisquer ligações politicas ao partido em questão, fez parte do meu passado

Um país com uma História recheada de lutas, aprendizagens, e valores que tem deixado escapar entre os dedos tudo o que até então construiu... e para quê???

Olho para trás e recordo algumas histórias, não só dos meus pais, mas de outros tantos que ao seu lado lutaram... apesar de muito pequena tenho na memória certas imagens, relatos (Entrevista - Setúbal na Rede) que entretanto fui ouvindo e conhecendo... e hoje ORGULHO-ME dos PAIS FABULOSOS que tenho e que tanto deram a este país para agora levarem "bordoada" de tudo quanto é lado... revolta ou desilusão??? AMBAS!!!


segunda-feira, 15 de abril de 2013

Olho para trás...

(Imagem retirada da net)
... recordo com saudade o tempo em que reclamávamos das aulas, dos testes, das faltas de liberdade porque os pais eram muito exigentes e não havia "baldas" para ninguém... queríamos tanto crescer!

Hoje ao ouvir os meus filhos parece que regresso no tempo e ainda me ouço a dizer as mesmas coisas. É aí que penso... "filho és, pai serás" e faço o meu papel de alertar que o crescer tem coisas boas, mas também acarreta uma série de coisas que não são assim tão boas...é mais responsabilidade, é o tempo que é muito mais curto, passa muito mais depressa e de repente... olhamos para trás com saudade! :)

No entanto, e apesar da correria, de casa, trabalho, casa, miúdos, casa, roupa, comer e quem sabe um tempinho para as coisas que gostamos, sou FELIZ! Precisava de mais umas horinhas no meu dia, é certo, mas sou FELIZ!

Foi um caminho fácil??? Não sei... acho que como para todos teve os seus momentos altos, os seus momentos baixos, mas tenho comigo uma aprendizagem que não dispenso. E se às vezes digo que se soubesse o que sei hoje não tinha cometido certos erros, outras há em que penso que provavelmente me fariam falta para dar valor ao que hoje se tornou a minha vida, o meu viver, a minha forma de encarar as barreiras que me são colocadas quer profissionalmente, quer pessoalmente. Como se diz... tudo faz parte! Tudo faz parte do crescer! :)

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

Há dias assim...

... cinzentos em que sentimos que nada ajuda a melhorar!!!
Mas enfim, há que dar a volta por cima, colocar um sorriso nos lábios e enfrentar o dia com alegria!

Ainda há pouco tempo os meus dias ferviam entre o trabalho, a casa, a família e a faculdade... sem que restasse grande tempo para qualquer outra actividade de lazer! No entanto, organizando um pouco ideias e horas lá consegui dar a volta ao texto e ter tempo para tudo :) Não é fácil, mas quando se quer e se luta tudo se consegue!

Esta etapa de estudante chegou a bom porto e consegui finalizá-la... mas enquanto decorreu muitos me perguntaram como é que eu conseguia... a minha resposta é simples... ACREDITEI que era capaz, não dei ouvidos a quem achava que eu não ia conseguir, lutei, estudei e fui até ao fim. Além disso, tenho uma família estupenda que esteve sempre a meu lado. :)

Organizava os meus dias para que começassem bem cedo, e no fim conseguia sempre um bocadinho para estudar e ainda dedicar-me ao meu artesanato.

Todos nós conseguimos, é uma questão de hábito!